terça-feira, 26 de julho de 2011

eu não sei de nada mesmo
caminho no escuro
(enquanto Ana lava violetas
para guerra.)

Ana que sinto só de olhar a simetria das roupas, penduradas, no varal



 ana-luz: ontem você começou a ler aqui. e ontem eu reencontrei a Ana. lembra?
- a quem estou ligada por uma violeta. daí a lembrança.

6 comentários:

  1. Suas imagens poéticas são mais que sonho, são aqueles realizados nas próprias fantasias.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Estar aqui no seu blog hoje
    é mais uma benção divina.
    Que sua terça feira seja de
    paz e realizações na sua vida.
    Que o amor fassa parte não só dos seus sonhos ,
    mais sim uma realização .
    Ter você como amiga é muito mais
    do que mereço.
    È por isso que estou trazendo essa mensagem
    pois não quero que você me esquesa.
    Um beijo no coração pra sempre sua amiga,Evanir.

    ResponderExcluir
  3. violetas para Ana, mãos violáceas



    beijo

    ResponderExcluir
  4. Imagens mais-que-perfeitas em teus poemas.

    ResponderExcluir
  5. Esta Analuz aqui quase emudece de tão emocionada...

    Beijinho carinhoso, Dani!

    ResponderExcluir

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.