sábado, 23 de julho de 2011

no dia que não enxergar
verei com os olhos
(a menina mimada dos olhos)

(...)
nus lábios
saberá que todas as palavras se extinguiram

(a surdez alucinada)

no dia que o realejo não tocar
(no ouvido desafinado de muitas vozes)

- ausência.

2 comentários:

  1. a palavra ausência se consome na própria existência,


    beijo

    ResponderExcluir
  2. Agora te lendo aqui também...

    Beijinho carinhoso!

    ResponderExcluir

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.