quinta-feira, 15 de abril de 2010

na janela


Deixa eu te contar. Bem baixinho e suave no canto do seu ouvido. Da janela quando chego do trabalho. Vejo uma cena, igualzinha, há quatro anos. Ele vem de carro e deixa a sua mulher na porta. E não arreda o pé antes que ela entre segura na casa. Antes se beijam a face. às vezes ela sorri. Outras ele combina algo que não posso ouvir. Há quatro anos ele a espera segura entrar. E depois sai na mesma toada lenta, olhandoa. E eu há 4 anos olho da minha janela, momentos um, momentos outro. e algumas vezes enquadro os dois. Todos os dias a mesma cena. Fico cansada então não olho hoje. Escrevo. Porque sei que hoje estarão se despedindo na mesma janela, o mesmo adeus, de quatro anos. Agora, e se hoje por qualquer razão eles não estiverem lá, interrogo o olho, não saberei. E não faz diferença. tanto faz, há anos, tanto faz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.