quinta-feira, 3 de junho de 2010

tuas pernas tecem lãs

i,

ele puxou os cabelos dela. os covelos do desejo.

gozou. e tiveram tempo pra amar. mas não. o tempo sobrou.

por mais de uma hora, beberam na boca um do outro, algo amargo, áspero o teu amor.
nos olhos, pudor.


entre pernas, espermas.
e um medo de rimar dor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.