terça-feira, 13 de abril de 2010

o tempo todo
fala
amarra palavras
constrange essências
sem medo, formas
arranhamos o amanhã, mas mesmo assim
cala o meu ouvido e dorme em paz
na carne som,
que meu umbigo não te esquece.

2 comentários:

  1. "meu umbigo não te esquece"

    Verso precioso. Ótimo texto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. uai...te achei nesse texto....lindo

    ResponderExcluir

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.