quarta-feira, 9 de março de 2011

o silêncio

igual aurora
um meio tom
um meio pernas

aquela mulher despencando
da minha garganta
num vazante
como o ar que entra

do sopro a madrugada
espantou o medo
com a alternância de luz

no meio tom
as pernas

 os ombros suspensos
na parede ao lado da cama

na ausência

2 comentários:

amig@s

aquilo que queria dizer.

Tecnologia do Blogger.